Mircea

Mircea Eliade (1907-1986)

r

Filósofo, Escritor, romancista e historiador das religiões reconhecido mundialmente, nascido em Bucareste, Romênia. É considerado o mais importante e influente especialista em história e filosofia das religiões, ficou conhecido pelas pesquisas que empreendeu sobre a linguagem simbólica das diversas tradições religiosas. De uma família de cristãos ortodoxos, desde jovem se tornou poliglota, aprendendo o italiano, inglês, francês e alemão. Formou-se em filosofia pela Universidade de Bucareste (1928) onde defendeu uma tese de mestrado sobre a filosofia na Renascença italiana, de Marcilio Ficino a Giordano Bruno. Influenciado pelo humanismo na Renascença foi para a Índia onde estudou sânscrito e filosofia hindu na Universidade de Calcutá e ainda e aprendeu o hebraico e o parsi. Também estudou as filosofias do sudeste asiático, sob a orientação do mestre Surendranath Dasgupta (1885-1952), professor emérito da Universidade de Calcutá e autor de 5 volumes sobre a história da filosofia da Índia, Motilal Banarsidass (1922-1955). De volta à Romênia (1932), doutorou-se no departamento de filosofia com a tese publicada em francês Yoga: essai sur les origines de la mystique indienne (1933). Esta edição deu-lhe reputação internacional e o levou a publicar outras obras sobre ioga e outros textos sobre filosofia. Trabalhou como adido cultural e de imprensa nas representações diplomáticas romenas em Londres e Cascais, Portugal. Após a Segunda Guerra Mundial (1945), durante a qual serviu na legião romena na Inglaterra e Portugal, por suas convicções direitistas não voltou para a recém Romênia comunista e estabeleceu-se em Paris, e tornou-se professor de religião comparativa na École des Hautes Études, na Sorbonne, enquanto escrevia em francês. Emigrando para os EEUU, estabeleceu-se definitivamente em Chicago, onde passou a lecionar história das religiões na Universidade de Chicago (1956). Passou a chefiar o Departamento de Religião da Universidade de Chicago (1958), cargo que ocupou até à sua morte, ocorrida em Chicago, Estados Unidos. Entre suas principais obras, caracterizadas pela interpretação das culturas religiosas e a análise das experiências místicas, foram Traité d’histoire des religions (1949) e Le Sacré et le profane (1965).